Em Macapá, SERIPA I realiza ações de prevenção

Entre os dias 4 e 6 de abril, militares do Primeiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA I) estiveram na cidade de Macapá-AP, com o objetivo de realizar ações sobre prevenção de acidentes aeronáuticos.

Reuniões com profissionais da INFRAERO e do Grupamento Tático Aéreo do Amapá (GTA-AP) sobre temas relevantes da aviação, enfatizando as especificidades de cada órgão, foram realizadas. Também foram ministradas palestras para a comunidade aeronáutica com o intuito de prevenir que novos acidentes aeronáuticos com características semelhantes ocorram.

No evento, o risco de colisão de fauna com uma aeronave; o reporte voluntário; e as ações iniciais a serem tomadas após um acidente, foram tratados pelo Gestor de Segurança Operacional do Aeroporto de Macapá, Sr. Marcos Ferreira da Silva. Na mesa de reuniões do GTA-AP, com a presença de pilotos, mecânicos e do Sr. Rubem Junior, coordenador do grupamento, também foram discutidos assuntos da aviação.

Em virtude de a localidade ter um dos mais altos índices de incidentes de apontamento de raio laser para aeronaves do país, esse assunto foi bastante debatido nas reuniões. O Major Aviador Fábio Luís Ridão Valentim detalhou o tema ao ministrar a palestra “Risco do raio laser no espaço aéreo navegável”, durante o Seminário de Segurança de Voo, que aconteceu no embarque internacional do Aeroporto de Macapá.

“Uma tripulação sendo atingida por um feixe de laser pode parecer uma brincadeira para muitos, mas essa situação é crime e está enquadrada no artigo 261 do Código Penal. O raio laser pode lesionar os olhos dos tripulantes, prejudicando o desempenho visual do piloto e, assim, resultar em um acidente aeronáutico”, destacou o Major Valentim, Chefe da Seção de Investigação do SERIPA I.

No seminário, ainda foram abordados: o risco de colisão com fauna, bem como identificadas as possíveis vulnerabilidades de segurança inerentes ao ambiente operacional, como fatores potenciais que colocam em risco vidas e equipamentos.

Para atingir completo aproveitamento da interação com a comunidade aeronáutica local, foram realizadas palestras direcionadas aos pilotos, sobre “Erro humano na aviação” e “Diário de bordo”, para identificar possíveis condições latentes que possam afetar a segurança de voo nas operações aéreas.

Publicada: 11/04/2017.