SERIPA V participa da reunião de segurança aeroportuária

Panorama do Aeroporto Internacional Salgado FilhoO Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA V) participou da primeira reunião da Comissão de Coordenação de Aeroporto e Segurança Operacional de 2017, promovida pela Infraero, no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. O evento aconteceu na quinta-feira (9), no auditório da administradora.

“É indispensável fomentar o intercâmbio de informações e cooperação entre os agentes de segurança da aviação, para valorizar cada vez mais a operação segura nos aeroportos. A infraestrutura aeroportuária, que envolve não só as atividades de voo, mas também as operações de solo, precisa manter elevado o padrão de segurança operacional”, afirmou o Tenente-Coronel Leonardo Pinheiro de Oliveira, Chefe do SERIPA V.

A Comissão, que se reúne a cada três meses, convocou diversos representantes da comunidade aeronáutica da região para debater assuntos de interesse da segurança aeroportuária, bem como divulgar a prestação de contas relacionada às atividades desenvolvidas no decorrer de 2016. Também foram sugeridas medidas e ações para ampliar e aperfeiçoar ações do Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional (SGSO).

Momento da divulgação do desempenho da segurança operacional em 2016Na prestação de contas, a comissão apresentou números relativos aos índices de movimento de pouso e decolagem, embarque e desembarque de passageiros, ocorrências no pátio de manobras e sobre a presença de FOD (Foreing Object Damage - na sigla em Inglês); em relação ao risco de fauna, evidenciada a atuação da técnica de falcoaria (projeto que utiliza falcões para afugentar pássaros) e outros. O destaque ficou por conta do aumento nos reportes relacionados às ocorrências aeronáuticas, mesmo diante do incremento das atividades aeroportuárias.

O reposicionamento do “Glide- Slope”, equipamento que permite às aeronaves operar a aproximação para o pouso de precisão por instrumentos, no Aeroporto Salgado Filho, foi comentado pela Comissão. A obra, que é de responsabilidade do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), vai afastar obstáculos da faixa de pista, passando de 90 para 150 metros, mantendo a precisão na operação aérea. O pleno funcionamento do “Glide-Slope” deverá ocorrer após a aferição do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), órgão do Comando da Aeronáutica, previsto para o final de abril.

Para maior segurança, em períodos de tempestades e alta incidência de descarga elétrica no raio de três quilômetros do aeroporto, a comissão enfatizou a necessidade de interrupção total do funcionamento das operações, em especial, no abastecimento de aeronaves e movimentação de pessoas no aeródromo. A orientação é que os profissionais procurem locais protegidos por área coberta, até que ocorra a estabilização do fenômeno meteorológico.

Equipe do SERIPA V posa para a foto com profissionais da InfraeroSegundo a coordenadora de SGSO, Rosita Almeida, a finalidade principal da reunião é informar à comunidade aeronáutica, atualizando-a sobre as atividades desenvolvidas no decorrer de 2016, bem como discutir ações que auxiliem na melhoria contínua do sistema. “A segurança operacional não se faz sozinha. Ela depende do envolvimento de todos os operadores da aviação”, justificou.

Além da equipe do SERIPA V, também participaram empresas aéreas, Receita Federal, Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Polícia Civil, Bombeiros, Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Porto Alegre (DTCEA-PA), Polícia Federal, Ministério da Agricultura, Empresa Púbica de Transporte e Circulação (EPTC), empresa Aeromot, entre outros representantes da área de Segurança Operacional.

 

Publicada: 10/03/2017